domingo, 25 de Novembro de 2007

AMOR PROIBIDO

Tanto tempo
de medos e fugas,
não nos pertenceu
nossa vida sonhada.
Tanto nos afligia
as horas desejadas,
o silêncio sufocando,
o ocaso espreitando
nossas fantasias,
que somente os rabiscos
tatuaram este muro
que nos separou.
Carícias ilusórias, escritas
em tintas, que desbotam
em margens duvidosas.

Sem comentários: